domingo, 30 de março de 2014

Crítica de Tudo por Justiça

Russell Baze (Christian Bale) lutou na Guerra do Iraque e trabalha em uma usina. Acaba indo para a prisão por atropelar e matar uma criança. Ao sair da prisão, retoma sua vida trabalhando na usina e morando com a familia. Querendo ganhar dinheiro, ele passa a fazer lutas clandestinas e acaba se envolvendo com Harlan (Woody Harrelson), um homem violento e perigoso.


Elenco: Christian BaleWoody HarrelsonCasey AffleckForest WhitakerWillem DafoeZoe SaldanaSam Shepard e Carl Clemons. Diretor: Scott Cooper.

Já sabemos que Christian Bale, vencedor do Oscar, pode conduzir filmes de vários estilos. Mesmo com o elenco peso-pesado de Tudo por Justiça, ele consegue estabelecer uma atuação convincente que alguns não conseguiriam  fazer.

O filme traz uma carga de drama, somada a necessidade do personagem de tomar atitudes perigosas, para enfrentar uma situação que ele mesmo se colocou. A ação do mocinho, a crueldade do vilão e as consequências, nos fazem lembrar de Desejo de Matar (1974) do grande Charles Bronson.

O elenco tem um peso muito grande, onde todos são eficazes, aqueles que sabemos que ao entrarem em um filme, não vão decepcionar. Esse é talvez o grande triunfo do filme, reunir nomes tão brilhantes. Até porque o filme, apesar de muito bom, possui um estilo já utilizado daquele que torcemos totalmente para o mocinho e xingamos mentalmente o vilão que é um homem brutal e cruel.

O trabalho de direção e produção, é muito eficaz, mas não espere trabalhos inesquecíveis de movimentos de câmera ou alguma inovação. É um grande trabalho, mas nada que marque tanto. Porém, ao assistirmos o filme, vemos que as decisões da produção foram corretas para o que o filme exige.

Em resumo, assistir é uma boa escolha. É um filme que mostra que as vezes, desviar os caminhos na vida pode não ser uma decisão correta.


terça-feira, 25 de março de 2014